quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Papinha caseira X Papinha Nestlé

Por volta dos 5 ou 6 meses o seu bebê vai estar pronto para começar a comer sólidos, ou melhor, papinha. E com isso uma nova dimensão da maternidade vai se abrir. Afinal, alimentar os filhotes vai ser aquilo que mais vai tomar o seu tempo, dinheiro e gerar preocupação pelo resto da vida. A questão é: vale à pena investir nas papinhas processadas, prontas e rápidas?

Não existe nada nesse mundo que me convença que uma banana amassada com água, farinha e preservativo (acido cítrico) em um pote que chega a ter um ano de validade, supere o valor nutricional de uma banana tirada do cacho. Banana que pode ser servida amassada com aveia, cozida com uma pitada de canela ou até mesmo entregue intacta às mãozinhas ávidas por ação, texturas e meleca.

O único argumento a favor das papinhas Nestlé – líder absoluta no mercado brasileiro e mundial, não tem porque não dar nome e sobrenome ao produto de que estamos falando – é a conveniência. Não se descasca nada, não se suja panela e não se esbarra na falta de criatividade culinária, é só pegar um dos potinhos denominados “strogonofinho com arroz”, “espaguetinho a bolonhesa”, eca, ou simplesmente “banana com aveia” ou “maracujá” e está tudo resolvido.

Não vou condenar quem recorre a essa conveniência em situações de emergência, mas até ai existem alternativas mais saudáveis. O problema é quando a emergência se torna algo corriqueiro, ai nenhum bebê merece.

Como diz o pediatra americano Dr. Greene (ver referência de livros interessantes): “O paladar e o metabolismo de uma criança, ao longo prazo, são influenciados por aquilo que ela coloca na boca na primeira infância, aliás, na barriga da mãe para ser mais preciso. As escolhas que você faz para o seu filho nessa fase vão ser as escolhas que ele vai fazer no futuro. Nesse momento crítico do desenvolvimento, não faz sentido substituir um alimento integral e nutritivo, por outro alterado, com altas concentrações de carboidrato. Para o metabolismo de um bebê não é diferente do que lhe dar uma colher cheia de açúcar.” Dr. Greene é um dos pediatras que encabeçam as campanhas contra a obesidade e diabetes infantil nos EUA. (http://www.drgreene.com/)

Mais algumas razões para deixar as papinhas Nestlé nas prateleiras dos supermercados e o que os comerciais não falam:

Bisphenol A (BPA): Esse componente encontrado em plásticos e que causa alterações endócrinas e câncer, também é usado no lacre das tampas dos potinhos de papinha infantil, incrível não?

Espessantes: As papinhas prontas são compostas em quase 50% por água e espessantes, que são farinhas ou outro carboidrato natural (carragena, goma guar, arábica, xantana e jataí) que serve para dar maior consistência e também servem como estabilizantes.  Apesar de teoricamente não fazer mal ao seu bebê – lembre-se das sabias palavras do Dr. Greene – o valor da papinha pronta é 50% inferior a mesma quantidade do mesmo alimento integral.

Ácido cítrico: O principal preservativo encontrado em papinhas parece inofensivo, já que e um dos principais componentes de um limão. No entanto, o acido cítrico também é usado na formulação de produtos desengordurastes como detergentes e outros diversos limpadores devido a sua ação abrasiva. Um estudo alemão recente associa o ácido cítrico a irritações estomacais e maior incidência de cáries em crianças e adolescentes já que seria um dos principais responsáveis pela corrosão do esmalte dos dentes.  O ácido cítrico é indiscriminadamente adicionado a todo tipo de balas, refrigerantes, sucos artificiais, molhos entre outros produtos alimentícios com alto apelo infantil. Quer dizer, não precisa introduzir um bebezinho a isso nas primeiras refeições de sua vida.

Diversidade: É só ler os rótulos das papinhas Nestlé para ver que todos os potinhos contêm pequenas variações da mesma coisa. Um bebê precisa de cores, texturas e nutrição verdadeira, só assim ele vai ser uma criança saudável.

Higiene: Já ouvi o argumento de que as papinhas processadas são mais higiênicas, hahaha, por quê? Feitas por grandes máquinas que são diariamente lavadas com produtos químicos que deixam resíduos (o caso do toddynho com soda cáustica). Onde uma maça podre com certeza pode escapar ao crivo de seleção. Ah, o amor é um ingrediente indispensável em qualquer prato, principalmente no de uma criança.  

Custo: Ainda bem que no Brasil, 120 gramas de papinha Nestlé é mais cara do que 120 gramas de qualquer fruta, verdura ou legume fresco.

O mercado brasileiro de papinhas

Recentemente, na fila de um supermercado, notei uma mulher bem vestida, unhas e cabelos bem feitos com o carrinho cheio de papinhas Nestlé. O meu primeiro pensamento foi tadinho desse bebê. Depois fiquei pensando o que levaria uma mãe a cometer tamanha injustiça com um pequeno ser sem escolha. Falta de amor com certeza não é, mas falta de tempo sim, ou será de informação?

Outro fato que tenho observado é que quem compra papinha no Brasil é a classe média, média alta. Mães que trabalham fora ou tem pouco tempo para se dedicar as refeições dos filhos, mas tem dinheiro. Já que ninguém gastaria R$3,90 por 120g de papinha de maçã, se com o mesmo valor compra-se o quilo de maçãs fresquinhas. A impressão que se tem é de que consumir papinha Nestlé é símbolo de status.

Nos EUA, e a cultura da conveniência faz com que 58% dos pais alimentem os filhos exclusivamente com papinhas processadas, segundo uma pesquisa da revista “Parents” realizada em 2008. E esse consumo está destinado às classes de baixa renda, sendo que os potinhos também são distribuídos gratuitamente pelo governo através dos “food stamps”. O potinho lá custa cerca de R$1,00 (U$0,60) enquanto o quilo de maçã R$6,70 (U$3,99). Infelizmente, essa inversão de valores é irreparável quando se fala em saúde. Os EUA vivem uma “epidemia” de obesidade e diabetes infantil alarmante. E é só ir ligando os potinhos para se chegar ai. Já a classe alta e mais bem informada opta por alimentos orgânicos e in natura.

Ainda bem que o consumo de papinhas processadas no Brasil ainda está longe de chegar aos níveis de outros países. A média aqui é de 12 potes até os 12 meses de idade, mas infelizmente esse número vem aumentando. Nos EUA são de 600 potes e na Europa são de 240.

O fim da picada é que os analistas de mercado consideram esse fato como um dado de país subdesenvolvido (sem grana para consumir). Eu analiso como riqueza de bom senso e de frutas e verduras frescas. E nesse quesito o nosso governo tem feito um bom trabalho. Em 2007, baniu a propaganda de papinhas processadas na TV. E procura incentivar o aleitamento materno até os 2 anos de idade. O site da Nestlé diz 6 meses bem grandão na sua homepage e ai pequenininho no cantinho diz que o governo incentiva o aleitamento materno até os 6 meses ou mais. Para uma empresa como a Nestlé esse “mais” é algo muito perigoso para os lucros da empresa.  

Aliás, em um relatório sobre a alimentação dos bebês no Brasil entre 2010 e 2011, feito pela “Euromonitor International”, uma empresa de análise de mercado, aponta esses dois fatores como empecilhos ao crescimento do mercado interno e algo a ser combatido. Será mesmo que essas empresas querem o melhor para a sua família?

Ufa, espero ter te convencido. Para as mamães espertas que não precisavam de convencimento, já que o instinto fala mais alto, espero ter fornecido alguns bons argumentos para não cair na cilada das propagandas fresquinhas e no ponto.
Vou continuar repetindo, “in natura” e sempre melhor para você e para o seu bebê. 

A recompensa é que filho nenhum esquece a comida da mamãe. Portanto, se você quiser ser inesquecível, trate de deixar os potinhos de comida pronta, tão conveniente, nas prateleiras dos supermercados.  

Observação: Segundo uma pesquisa do IBGE, 40% dos brasileiros estão acima do peso e 10% são obesos. De acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), 15% das crianças no Brasil são obesas. Essas estatísticas assustam e são o reflexo dos hábitos alimentares da nossa sociedade que vem se alterando drasticamente com o aumento do consumo de processados e do “fast food”.

Alguns ingredientes da papinhas Nestlé (120 gramas):

Manga com pêra: MANGA, ÁGUA, PÊRA, MAÇÃ, MAMÃO, AMIDO, FARINHA DE ARROZ, VITAMINA C E ACIDULANTE ÁCIDO CÍTRICO. NÃO CONTÉM GLÚTEN.

Banana com aveia: ÁGUA, BANANA, SUCO DE MAÇÃ, FARINHA DE AVEIA, AMIDO, VITAMINA C E ACIDULANTE ÁCIDO CÍTRICO. CONTÉM GLÚTEN

Strogonofinho com arroz: ÁGUA, BATATA, LEITE EM PÓ, POLPA DE TOMATE, CEBOLA, CARNE, ARROZ, AMIDO, FARINHA DE ARROZ, ÓLEO DE CANOLA, SAL COM TEOR REDUZIDO DE SÓDIO, ÓLEO DE MILHO, ALHO E LACTATO FERROSO. NÃO CONTÉM GLÚTEN.

Frango com legumes: BATATA, PEITO DE FRANGO, CENOURA, ÁGUA, FRANGO, POLPA DE ABÓBORA, CEBOLA, CHUCHU, AMIDO, ÓLEO DE CANOLA, ÓLEO DE MILHO, FARINHA DE ARROZ, SAL E ANTIOXIDANTE ÁCIDO ASCÓRBICO. NÃO CONTÉM GLÚTEN.

Fontes:

84 comentários:

  1. E esse inocente "óleo de milho" é glutamato monosódico!
    Ótimo post

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E transgênico = carregado de agrotôxicos... obrigada por comentar. bj

      Excluir
    2. Gente....quanta informação errônea!!!! Óleo de milho é óleo de milho. Glutamato é glutamato. Pesquise um pouco antes de falar abobrinhas!!! Outra coisa: TRANSGÊNICOS foram desenvolvidos justamente para serem resistentes à pragas e não necessitarem de agrotóxicos. Que causam câncer, não há nada comprovado ainda....os agrotóxicos, que são usados nas plantas normais, não-transgênicas, esses sim causam câncer, mutação, poluem os oceanos e lençóis freáticos, etc...Sou super à favor dos transgênicos, principalmente por permitir que mais alimentos cheguem à mesa dos menos favorecidos por um preço melhor (pois são plantas mais resistentes e produtivas). Por favor, vamos pesquisar um pouco no google sobre os assuntos polêmicos antes de colocar aqui, neste site onde muitas mães procuram informações e acabam formando suas opiniões. Ah! e não tem nenhum tipo de "goma" em nenhuma das papinhas que comprei (li todos os rótulos antes de comprar e vi que os conservantes são todos naturais, e não possuem açúcar branco, nem muito sódio, e nem muita gordura). Não sou a favor de alimentação exclusiva com potinhos....mas tbm não podemos condená-los com falsas informações. São um ótimo quebra-galhos quando chegamos tarde por causa do trânsito e não deu tempo de passar no mercado para comprar verduras frescas.

      Excluir
    3. Olha, gostei bastante do blog....mas detestei a forma como você responde aos comentários que discordam de vc, começando com um sarcástico "querida" e usando agressividade e ironia desnecessários...com esta postura deselegante você expulsa do blog pessoas pensantes e só mantém aqui vaquinhas de presépio que te aplaudem. A moça da Anvisa está certa. E o problema dos agrotóxicos não cabe a esta entidade. Pesquise um pouco antes de atacar as pessoas. Tomara que meus comentários a ajudem a ampliar sua mente e ter uma postura mais aberta à críticas, o que só irá te enriquecer como blogueira. Boa-sorte.

      Excluir
    4. Tatiane, a diferença da genialidade da estupidez é que a genialidade tem limites. Seus comentários mostram q vc não sabe nada sobre nada.
      Primeiramente, em países sérios o transgênico foi BANIDO. Segundo, este discurso de q tansgênico naõ precisa de agrotoxico é a maior ladainha da história. Agrotóxicos são ESPECIALMENTE DESENVOLVIDOS PARA ESTE TIPO DE ALIMENTOS. Aqui no BR, onde a bancada ruralista manda no congresso, os financiamentos oferecidos aos produtores rurais só é concedido quando ele se compromete EM COMPRAR SEMENTES TRANSGENICAS E AGROTÓXICOS, É UM PACOTE SÓ. quanto aos danos provocados à saúde humana, estudos mostram que ESTE TIPO DE PRODUTO TEM EFEITOS DESCONHECIDOS AOS ORGANISMO HUMANO, e não como vendem e vc comprou q não foi comprovado os males causados.
      Eu discordo do texto, no q diz q nosso gov faz um trab exemplar. Bem, a nestle é a maior parceira comercial do fome zero, e isto póe em cheque a confiabilidade e a idoneidade do projeto, já que a nestle ganhou o premio nobel da vergonha, por suas políticas de danos à saúde pública, danos ambientais e desprezo aos seus profissionais. Mas se vc quiser comprar o discurso de corporações e confiar em suas propagandas, que só servem para aparentar confiabilidade é problema do seu filho.

      Excluir
    5. NOSSA MOÇA,VC E FOFOQUEIRA,DA PRA PERCEBER,CUIDE DE SEU FILHO)A E DEIXA CADA UM CUIDAR DO SEU,SERA QUE SO PORQUE VC NASCEU,O MUNDO SE TORNOU UMA MARAVILHA?DESDE QUE O MUNDO E MUNDO EXISTE MAES E CRIANÇAS,ENTAO PARE DE DAR PAUPITES NA VIDA ALHEIA...!!!

      Excluir
  2. Super interessante as informações e se eu já era contra a tal papinha industrializada agora sou mais ainda! Mês que vem começarei a introduzir as papinhas na alimentaçao minha pequenina, que serão fresquinhas feitas com todo o amor da mamãe aqui!
    Fiquei lisonjeada com sua visita e comentário em meu blog, muito obrigada! Sempre passo por aqui e sou fã de carteirinha de seus posts.
    Beijoss
    www.jeitinhos.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Sabrina, bj e parabéns pelo seu blog.
      Tenho certeza que sua pequena um dia vai ser muito grata.

      Excluir
    2. preciso de pote papinha nestle médio urgente... -meninas-me-ajde minha irma esta gravida, 200 potinho vocês pode me dou ar muito obrigado. Tel(21).34769084 ou (21)74132903

      Excluir
  3. Muito bom o post!! Fantástico! Eu sempre fui do partido de comida um natura, tanto que adoro inovar na cozinha! Parabéns pela iniciativa!
    Bjinho!
    Simplesmente-mamae.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por deixar seu comentário, apareça mais vezes. Ah, já dei uma passadinha no seu blog. bj

      Excluir
  4. Muito boa a matéria! Faço as papinhas do meu pequeno com o maior prazer. Ju SUPER PARABÉNS pelo blog! beijos, PomPom

    ResponderExcluir
  5. Qual a sua formação??? Teve pontos que sim, eram verdades e interessantes, mas dizendo que o ácido citrico faz mal, com fundamento em apenas um estudo ai nao temos que concordar.Nao há plastico na tampa do pote, ela é de metal, metal nao tem bisfenol. E sim, sao ricas em nutrientes, pois o processamento que ocorre é na propria embalagem fechada, assim nao há perdas de nutrientes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, sou jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo... se vc quiser saber um pouco mais sobre o meu background profissional de uma olhada no "Quem" lá em cima da página.
      O revestimento interno da tampa de metal tem sim bisfenol. A não ser que a Nestlé/Gerber decidiu tirar no mês passado e eu estou desatualizada. É uma capada feita com uma resina de epoxy (formada por uma reação de bisfenol-A e Epichlorohydrin) é que serve para não deixar a tampa enferrujar internamente, principalmente em comidas que contenham acidez.
      Quanto ao ácido cítrico, não existem apenas um estudo, mas vários publicados em revistas acadêmicas como Nature e Journal of Dentistry. O ácido cítrico das frutas que consumimos não causa mau nenhum é até ótimo para o nosso sistema imunológico, mas eu alerto para o uso excessivo do ácido cítrico E330, usado sem cautela em praticamente todos os alimentos processados. Não sei qual a sua formação, então selecionei esse artigo que é simples e pode esclarecer alguma das suas dúvidas http://www.ehow.com/about_5101237_dangers-citric-acids.html
      Quanto à parte nutricional, não entendi o que você quer dizer que o processo ocorre dentro da embalagem, talvez seja o processo de pasteurização, que serve como conservante da papinha. Acontece que até todos os ingredientes virarem a papa que é então colocada no potinho, esses alimentos foram manipulados, lavados, cortados (aqui já começa a perda de nutrientes), cozidos, misturados com os carboidratos espessantes etc... Se você acha que 120 gramas de uma pêra, uma maçã ou banana que passa por todo esse processo se equivale a 120 gramas de uma maçã raspadinha na frente de uma criança, ai eu não tenho mais nada que argumentar... Obrigada pelo comentário e volte mais vezes.

      Excluir
  6. Ótima postagem! Mais vale uma comidinha feita na hora do que essas coisas industrializadas sem gosto que querem entupir em nossos bebês! Minha moça já esta com 7 anos, bem gordinha e saudável, e nunca tive vontade de fazê-la comer um engodo desses. O temperinho especial das mamães nada supera. Uma matéria muito bem argumentada, Parabéns

    Estou seguindo você, bjo

    ResponderExcluir
  7. Adorei o post como tds já disseram ai em cima. Mas vou falar uma coisa real, estou na dúvida ainda qdo a comida industrializada e a "in natura" feita em casa, digo o porque: primeiro vou dizer quem sou p poderem entender o meu ponto de vista, sou casada com um agropecuarista ( culturas e gados p q não sabe) se vcs soubessem o tanto de agrotóxicos q eles colocam nos vegetais, hortaliças e frutas nem chegariam perto...kkkk, tudo q vc ve no supermercado é bonito e vistoso por causa dos insumos agrícolas, ninguém lava antes de por na banca e lavar seria desinfectar no mínimo e não dá garantia de que o produto fique livre do agrotóxico que penetra no produto. Para se ter idéia do que falo, por exemplo o milho, alguns trangênicos que nem sabemos o que contém, pois a semente vem de fora do país, outros são temperados com os venenos antes de se plantar até, o grão chega a ficar cor de rosa até e o cheiro é horrível, onde tudo isso vai parar?!! No amido de milho q vc compra, no "inofensivo" milho verde q vc compra no metrô ou compra no mercado p fazer qlq oisa em casa e dar a seu filho.
    Acho que no mundo q vivemos hoje em dia, que o mais importante é o lucro, seria mais saudável comer luz!! kkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ingrid, concordo plenamente com você. Nada garante que o produto 'in natura' não contenha substâncias prejudiciais à saúde. Acredito que os ingredientes utilizados nas papinhas prontas passam por inspenções muita mais rigorosa que qualquer fruta ou verdura no mercado...
      Além do mais, acho que a marca citada acima está há mais de 20 anos no mercado...eu por exemplo foi alimentada com papinha...Se realmente tivesse tudo isso, já não estaria mais no mercado...concordam?
      Achei engraçado a questão da perda dos nutrientes...ué, eu não sei qual a temperatura certa que devo cozinhar para não perde nutrientes..alguém sabe?? Aliás, eu tb corto os vegetais, estou errada???
      Não estou defendendo, mas apenas colocando um contraponto na discussão....

      Excluir
    2. Oi Ingrid e anônima, obrigada por comentarem. Concordo plenamente com vcs a respeito das frutas, verduras e legumes que encontramos no mercado, não existe nada de saudável numa caixinha de morango carregada de agrotóxicos (chega a ter mais que 30 tipos diferentes) ou num pêssego item. Muito menos comer uma espiga de milho transgênica. Melhor comer luz como disse a Ingrid. O tomate então se não bastassem colocarem agrotóxico por fora, injetam... Bem, foi esse um dos motivos que me fizeram começar esse blog, eu prego o consumo de alimentos orgânicos e faço questão de pagar mais por eles. Também sou fã das pequenas hortas e dos pequenos produtores que ainda prezam pela verdadeira agricultura. Basicamente hoje em dia não existe nada em um supermercado tradicional que valha a pena consumir. Por isso quando eu escrevo produtos “in natura” quem já percorreu outras matérias do blog já subentenderia ORGÂNICOS. Eu sei que é quase impossível no mercado atual encontrar variedade de produtos assim, por isso eu sou ativista... eu tenho sorte de ter um mercado orgânico na minha cidade onde a dona também presa pela excelência de seus fornecedores. E lá que eu compro meu leite, ovos, frango, tomate, alface, cenoura, yogurte, farinha de milho, pipoca, arroz, feijão, suco de uva, vinho, açúcar...
      Agora o comentário da anônima em dizer que as verduras e frutas das papinhas Néstle passam por um maior controle de qualidade. Duvido. Essa corporação é que fomentou e fomenta o tipo de agricultura que existe hoje. Agrotóxico em cima de agrotóxico, que não só polui o alimento, mas a água, o solo e o ar de que tanto dependemos. Fora os transgênicos que a grande maioria da população não tem noção do que seja e o que isso significa para a biodiversidade alimentar e a saúde dos animais e humanos (estudou estudando e preparando um post sobre o assunto). É basicamente é só olhar para a nossa sociedade hoje e ver o que acontece quando os alimentos processados são a base da alimentação = obesidade, diabetes, câncer, doenças reprodutivas... não sou eu que estou falando, existem estudos e inúmeros livros para dar suporte ao que escrevo. Eu morei 10 anos nos EUA e lá a cultura da papinha pronta é a norma, é só olhar em volta para ver as conseqüências. Hoje, já existe um movimento enorme em prol da alimentação orgânica e praticamente em todos os supermercados você encontra uma variedade de produtos. Fora que o habito de cultivar uma horta orgânica em casa vem crescendo muito, o que é maravilhoso. Acho que o meu post foi claro quando eu afirmo que eu acho uma judiação expor uma bebê a alimentos desse calibre na primeira infância, a EPIGENÉTICA diria que se está programando a criança para o pior.
      Obrigada pela discussão. Voltem mais vezes JM

      Excluir
    3. Ah, esqueci de disser que a anônima deveria deixar de ser tão ingênua. 80% do que se está no mercado não faz bem a saúde e está ai pra causar câncer, ataques cardiacos, diabetes... E sempre duvide de tudo,´principalmente daquilo que está nas prateleiras dos supermercados...

      Excluir
    4. não entendi, a dona do mercado foi presa pq?

      Excluir
  8. Ate parece que todas as pessoas do mundo tem tempo de fazer hortas...vcs nao tem emprego? vivem de que? estou cansada d ver pessoas desinformadas e radicais, que acham que comer "bio" as fazem superiores...pura bobagem! Trabalho na Anvisa, sou responsavel pela liberacao de alimentos no mercado e posso garantir que tudo que vc escreveu sobre as papinhas e "mito" lenda urbana de quem nao entende nada de nutricao. Eu gosto de cozinhar para o meu filho, sei o quanto e importante o consumo de frutas e vegetais...isso nao faz dos fabricantes de alimentos industrializados viloes. Ou vc produz sua propria farinha de trigo, leite, etc? Ah, e a pessoa que comentou que oleo de canola e glutamato nao sabe NADA sobre alimentos...oleo e oleo. Glutamato e um realcador de sabor, nao tem nada de oleo...quanta desinformacao e besteirol, meu Deus..em vez de propagar informacoes erroneas sem fundamento gastem seu tempo pesquisando e aprendendo algo..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida, me desculpe, mas esse post foi escrito em cima de muita pesquisa. Se a ANVISA fosse um órgão responsável o Brasil não seria campeão no uso de agrotóxicos e o pior ainda agrotóxicos banidos pelo governo e pela comunidade internacional por causarem inúmeras. O Brasil está se tornando um país obeso, as crianças vivem doentes e sem energia e a senhora acha por quê??? Não tem uma linha do que foi dito no post que não seja verdade, cabe a cada um de nos julgar o que acha melhor para a sua família.
      Ah, seria lindo se muito mais pessoas tivessem hortas em casa, atividade muito recompensadora e garantia de alimentação muito mais saudável. A cultura dos transgênicos e das monoculturas está acabando com a nossa saúde, a qualidade do ar, da água e do solo... destruição total do que existe de mais valioso para o ser humano. Obrigada por comentar e volte mais vezes, quem sabe vc não aprende algumas coisinhas...
      Ah, vc está cansada de pessoas radicais, porque??? Ai vc tem que trabalhar de verdade???

      Excluir
    2. Anvisa, ministério da agricultura, tudo a mesma coisa

      Excluir
    3. Pra mim, a ANVISA é um órgão ditatorial, xiita em seus radicalismos sem fundamento e pior... pensa de maneira burra!!!
      Em muitas das suas atitudes, ao invés de se espelhar em estatísticas, tomam decisões extremamente impactantes, para depois ter que voltar atrás... brincar de tentativa e erro com toda população brasileira, sem estudos fundamentados pra mim é o pior radicalismo de todos.


      Excluir
  9. Mas há casos raros de bebes que ñ comem papas caseiras...tenho uma amiga que tentou de td e o bebe dela ñ comia...no primeiro mes chegou a emagrecer pois o leite já ñ era suficiente e ele ñ comia papa salgada só frutas...ai ela recorreu a papas da nestle e o bebe comeu...ate começar comer comida normal como arroz feijão etc....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida, alimentar um bebê nunca foi fácil. Mas acredito que é um dever dos pais resguardar a alimentação dos filhos para que isso se reflita em saúde. O paladar a gente que cria e desenvolve em nossos filhos desde que eles estão na barriga. O fato é que se sua amiga insistisse o bebê eventualmente se adaptaria as papinhas caseiras. Existe uma varieda enorme de combinações de verduras e legumes para se experimentar, temperinhos,ervas etc, com certeza o bebê uma hora são muito convidativas e eficientes, mas não mostram a realidade dos fatos.

      Segundo o Ministério da Saúde:
      - Em 20 anos, entre 1989 e 2009, a obesidade infantil quatruplicou no Brasil.
      - Hoje, 1 em cada 6 meninos de 6 a 9 anos é obeso. Obeso o que é diferente de fofinho.

      Acho que nossos estilos de vida tem tudo a ver com esse novo panorama, não. Os EUA estão ai pra provar as consequências de 50 anos de junkfood e conveniências...

      Obrigada por comentar e volte mais vezes.

      Excluir
    2. Gostaria que vc alimentasse o meu filho, tarefa muit fácil. Fiz de tudo para o meu filho comer. Sabe o que é tudo? A única coisa que ainda não fiz foi "macumba", porque o resto foi feito e repetido a exaustão. Pode citar um legume, uma verdura, um tipo de feijão que exista no mundo, um tempero; eu posso te garantir que já tentei. Eu já preparei a papa, meu marido, minhã mãe, meu pai, minha tia e o meu filho rejeitou todas. O meu filho não é didífil para comer, é impossível. Toda papa caseira o meu filho vomita, a única coisa que ele aceita é essa papinha nestlé. Não dou papinha nestlé por conveniência, porque é mais fácil; pois diariamente faço papinha para ele e diariamente ele a rejeita, então recorro ao potinho. O meu filho só aceita potinho e não é por falta de insistência em oferecer uma comida mais saudável. O caso do meu filho já foi discutido com gastro, pediatra e fono. Além dos médicos, gasto uma fortuna em potinho nestlé, dinheiro que faz falta.Não sei se a amiga supracitada insistiu em oferecer papinha caseira, eu posso afirmar com toda tranquilidade de munha consciência que eu já fiz de tudo - menos macumba- para o meu filho comer. Até promessa para Nossa Senhora de Fátima, eu fiz. O meu calvário começou quando ele tinha 6 meses e ele irá completar um ano. O que eu deveria fazer, alimentá-lo exclusivamente com leite artificial? Pois, não tive leite materno, nenhuma gotinha sequer. Por mais que eu quisesse alimentar o meu filho, não pude. Me senti culpada até não poder mais. engordei 15kg depois da gravidez de ansiedade, comendo canjica (para dar leite) e tristeza. Então antes de sair julgando os outros ou afirmando o que se deve fazer ou não, respeite o sofrimento da mãe alheia.

      Excluir
    3. Minha filha tb nao aceitava papinha
      Então passei a dar a comida normal aos grãos picada aí ela comia

      Excluir
    4. O Que você come??? Já se perguntou? Desculpa mas achoque você está sendo mal orientada...desde a gravidez...ou antes

      Excluir
    5. Boa tarde a todos! EU FUI UM BEBÊ ALIMENTADO PELA PAPINHA NESTLÉ. E não era porque minha mãe não tinha tempo, não sabia ou simplesmente não queria fazer a papinha caseira. EU NÃO COMIA A COMIDA QUE MINHA MÃE FAZIA. Recomendada pelo pediatra, minha mãe começou a me dar a papinha Nestlé e funcionou perfeitamente. Hoje, sou mãe e tenho um bebê de nove meses que também come a papinha Nestlé. Fui abordada por uma mãe no supermercado que me disse que a papinha está causando câncer no estômago dos bebês e resolvi pesquisar. Bem, não há nada comprovado, e sim muita lenda sobre o que faz bem ou mal para nossos filhos. Na verdade, vale o bom senso. Se seu filho não come comida caseira, dê a papinha, vá acostumando aos poucos o paladar dele para comidas caseiras. Se está acostumada a dar papinha e perceber que a criança está engordando muito, maneire a quantidade e substitua por alimentos naturais. NÃO EXISTE CERTO E ERRADO NESSE MUNDO DE MÃES, POIS CADA UMA SABE O QUE É MELHOR PARA SEU FILHO! NÃO TEMOS QUE CONDENAR NINGUÉM POR FAZER ISSO OU AQUILO COM O FILHO.

      Excluir
    6. Concordo muito com a frase de LU RELVAS, ´´não existe certo e errado no mundo das mães, sabemos o que é melhor para nossos filhos´´ é fácil falar para insistir na papa caseira e ver q seu filho não está se alimentando dia após dia, e sabendo que não pode dar o leite no lugar da papa! Isso sim pode prejudicar na saúde futura da criança, a falta de alimentação influi completamente no desenvolvimento físico e mental de uma criança! Os primeiros meses de vida a alimentação é fundamental, e ver seu filho não se alimentando não é nada confortável! Chega um dia que nós mães nos desesperamos e preferimos ver eles comerem a papa da Nestle a não comer nada! Não sou a favor de se render somente a papa da Nestle, mas acho que é válido iniciar com ela, e aos poucos introduzir alimentos caseiros, até pq essa fase da criança não dura tanto, esses componentes quimicos fazem mal se consumidos em muita quantidade e ao longo da vida, o ser humano não vai ter cãncer no futuro pq comeu papa da Nestle durante 2 ou 3 meses de sua vida! Fala sério!

      Excluir
    7. Tenho um filho de 16 anos que sempre comeu papinha Nestlé eventualmentee é super saudavel em compensaçao tenho uma sobrinha filha de uma mãe neurótica como muitas aí em cima que nao dava nada que não fosse in natura e a menina com 12 anos tem colesteroal alto e diabetes sem nunca ter comido um brigadeiro então..sem radicalismo !! viva o equilibrio...

      Excluir
  10. Vocês esqueceram de comentar da importância da textura, das cores e da mastigação. Um bebê que come papinhas prontas não tem essa oportunidade de diferenciar um alimento do outro, não podendo formar hábitos alimentares saudáveis e a mastigação estimula a saciedade. Vale a pena lembrar que as papinhas preparadas em casa não devem ser liquidificadas e nem peneiradas e sim amassadas com garfo. Para mim o detalhe principal para quem opta por papinhas prontas é a falta de planejamento do seu tempo para o preparo da alimentação da criança. Esses produtos deveriam ser usados esporadicamente, de repente numa viagem longa onde não teria como preparar a refeição do bebe. O problema é seu uso indiscriminado. Grata pela atenção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem colocado Marcelle, vc tem toda a razão quanto as texturas, cores e até mesmo sabores dos alimentos. Obrigada por comentar.abç JM

      Excluir
    2. Adorei, dei valor a sua resposta Marcelle

      Excluir
  11. Podiam também colocar algumas receitas de papinhas caseiras, é dificil fazer um bebê comer com gosto, tenho um em casa de 6 meses, já fiz todo o tipo de papinha com azeite sem azeite, amassado, apenas batido no liquidificador, de frango, de carne, até com gostinho de peixe rs com tempero sem tempero enfim, é dificil, e sabe qual ele gostou? Das papinhas prontas rs não sei o pq, mas gostou e come tudo, enquanto as minhas de todos os tipos ele detesta e faz vômito, não entendo no que erro. Um dia uma moça me perguntou o pq eu dava aquelas papinhas, tentei explicar e ela me olhou e perguntou: "Você coloca muito amor?". Dei uma olhada e respondi que sim, onde já se viu fazer por obrigação, não mesmo, faço pq gosto e coloco muito amor, mas não sei onde erro. Quem tiver receitas me mande, irei agradecer demais, até pq dicas pra uma mãe de primeira viagem nunca é demais. Jaciara_xd2@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, "anônimo".
      Tem muitas receitas de papinhas caseiras na internet. A palavra de ordem para se cuidar de um bebê e educá-lo é paciência. Não vou julgar ninguém. Mas pense numa sociedade em que não houvessem industrializados cheios de "...antes". Os nossos bebês tem que comer o que nós oferecemos. A pediatra das minhas filhas sempre falou: "se ela não quiser comer o que você oferece, deixe-a com fome. Quando ela estiver com fome comerá o que você oferecer." E foi assim mesmo. Não quero dizer que não dei potinhos às minhas filhas, mas evitei ao máximo. Fiz papinhas com receitas que encontrei em livro de puericultura e na internet também.
      A gente trabalha tanto para dar "conforto" material aos filhos que acaba justificando que é falta de tempo, que é cansaço. Cuidar de uma criança requer renúncia a muitas coisas, não é fácil mesmo! Muitas pessoas se matam de trabalhar 10 ou até 12 horas por dia par TER tv a cabo, microondas, tv de trocentas polegadas, fazer chapinha de 15 em 15 dias, fazer unha decorada toda semana, tablet, smartfone, etc. e dão papinha para os bebês porque estão muito cansadas. Esse estilo de vida é apenas uma bola de neve que destrói cada vez mais a nossa vida que deveria tranquila. O sistema capitalista enredou as pessoas e elas preferiram entregar-se cativas a esse modo de vida escravizante. Isso é o que vejo no meio em que convivo, prezad@ "anônimo".
      Vejo que a dona do blog está contribuindo para que tenhamos um olhar humano para nossas vidas e concordo em quase tudo.
      Espero tem ajudado de alguma forma.

      Excluir
    2. Olá,
      estou conhecendo o blog hoje. Sabe na verdade muitas vezes é difícil mesmo variar cardápio e oferecer comida mais natural em família. O portal http://www.comerparacrescer.com/ é ótimo com receitas e dicas. Muitas vez criança percebe a ansiedade dos pais na hora da alimentação e acaba não comendo, meu filho aceitou papinha muito bem e comia de td. Perdi o preconceito e o que eu não comia passei a comer a a oferecer a ele, hoje continuo a não comer frutos do mar, por exemplo, mas peço ao meu marido que come para oferecer a ele. Em viagens longas recorri a papinhas prontas sim, mas nunca me conformei com o cheiro e com o sabor daquilo. Quando morava em casa tentei ter horta, me esforcei e muitas vezes chorei porque dava pequenas pragas ou os cachorros da vizinhança pulavam a cerca pra andar na minha horta com esterco de boi, hehehe, foi quando aprendi que valor do espinafre cultivado em casa. Quando o meu filho chegou parei de trabalhar, para ficar com ele e estou até hoje. Meu marido dá conta do recado e levamos uma vida sem luxo porém com rotina e organização, comemos muita fruta e legumes, ando atrás de feiras organicas ou não! O meu filho é seguro e se desenvolve bem, está em uma escola distante da minha casa porque a que é perto não nos adaptamos,acho que não podemos nos levar por convenções e ou pelo o que os outros acham ou fazem, tudo sempre tem múltiplas escolhas e, independente de quanto a família ganha sempre podemos escolher o melhor para os nossos. Às vezes quando viajamos e vejo mães e pais alimentando os filhos com tablets ligados, acho o fim da picada! Não temos tablets, acesso a internet direto mas não deixo meu filho mexer, ele está com 3 anos e meio! Desço com ele para andar pelo bairro a pé,jogar bola ou andar de velotrol. Desligo a tv na das refeições e não permito que meu filho durma tarde durante a semana.
      É isto, não é fácil mas compensa tentar fazer diferente. Hoje moro em apto, e estou tentando adaptar uma pequena horta! Conheça meu blog http://www.entaoamoadoro.blogspot.com.br/ !

      Excluir
  12. Adorei o post. Para as mães que não acreditam que o filho (a) vá comer papinha natural, a minha filha passou 1mês cuspindo copiosamente toda e qualquer papinha que lhe era oferecida (frutas, frutas misturadas, legumes, legumes misturados, com azeite, sem azeite...). Continuei oferecendo, sem forçar. Um dia ela começou a comer e hoje come de tudo. Em geral, ela tem comportamento semelhante para qualquer alimento novo/textura nova. Primeiro rejeita, depois vai "fazendo amizade".
    E faço a "linha do meio" na questão de alimentação. Faço tudo em casa, com o máximo possível de orgânicos e integrais, mas dou papinha Nestlé quando tenho que sair e ficar muito tempo fora. Mas fiquei curiosa quando você falou que, mesmo para emergência, existem soluções melhores. Já existe alguma comidinha pronta no mercado (que dê para levar com você) mais legal que a Nestlé? Na verdade, é só curiosidade mesmo, pois tenho dado N cada vez menos, já que a pequena come várias coisas agora e está cada vez menos dependente da papinha...
    Adorei o blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pergunta dificil ela não responde ahhaha

      Excluir
    2. Nossa "anônimo" como você é tosco. Ninguém está competindo em nada aqui. E qualquer pessoa com bom senso percebe o quão inconveniente você está sendo. Essa é minha primeira visita ao blog e admiro a dona. Já você, enoja qualquer mãe que quer no mínimo o menos pior ao seu bebê.
      Nossa, que pessoa desagradável!
      Rafaela.

      Excluir
    3. Concordo com vc Rafaela! tbm é minha primeira visita aqui,e eu adorei as indicaçóes,cada mãe sabe oque vai dar para seu bebê (criaturinhas indefezas que não sabem oque estão comendo) minha bebÊ vai fazer 6 meses vou começar a dar papinha para ela, mas vou fazer tudo caseira.. tenho medo de dar essas papainhas da NESTLE, e eu mesma fazendo sei oque minha filha vai comer :) adoreeei as informaçãoes aqui passadas pela proprietaria do blog obriigada de coração...

      Excluir
    4. As minhas soluções de emergência: cozinhar legumes em pedaços no vapor, grãos e cereais e guardar porções contendo legume, grão e cereal no frezzer. Quando precisava sair, levava na bolsa térmica junto com garfo e colher. Pedia para esquentar no microondas ou em banho maria (dependendo do lugar onde estou), amassava e dava para a minha sapequinha. O mesmo vale para frutas. Levava a fruta lavada e amassava ou raspava na hora de servir. É mais demorado, mas é uma alternativa.
      Espero ter ajudado.

      Excluir
  13. ADORO posicionamentos. Ainda mais se eles fazem todo o sentido.
    Compartilhando!
    bjos

    ResponderExcluir
  14. Só uma ressalva, que eu saiba o bisfenol só faz mal(a substância é liberada) quando aquecido. E ninguém esquenta as papinhas com a tampa. Eu moro nos Estados Unidos e dou papinha orgânica para minha filha,além de frutas e alimentos caseiros. Não vejo nenhum problema nisso.Mas seu texto está ótimo.Ah fiquei sabendo que a Farinha Láctea vinda do Brasil foi banida aqui justamente por usarem um pesticida proibido aqui (em referência a discussão sobre a ANVISA).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema é que não há garantia que durante o transporte ou armazenagem, o pote de papinha não seja exposto ao sol por exemplo, fique muito tempo dentro de um caminhão superaquecido, etc. assim, o bisfenol é aquecido e libera as substâncias tóxicas. Como acontece com as garrafas de água, quando esquecemos no carro.

      Excluir
  15. Um dos melhores textos que já li sobre esse assunto... muito bom!!! será que assim as pessoas conseguem compreender que não é legal esse tipo de coisa para um bebê, o ruim é que a maioria dos pediatras "liberam" e as mães não se preocupam muito em saber o que realmente estão dando pro seus filhos... E outro agravante que vejo sempre como desculpa é " um produto tão antigo não deve fazer mal assim" =/ adorei e vou compartilhar com certeza...
    Beijos Thais ventura (www.asdeliciasodudu.com.br)

    ResponderExcluir
  16. Adorei o texto!!!, a thais (ai de cima) compartilhou no facebook e vim ver, muita informação de qualidade, e achei bem completo, com as fontes da onde tirou suas informações e tudo mais! Adorei o texto, muito obrigada com certeza um aliado para propagar e defender minha posição de que comida que é comida de verdade só se for feita em casa! Eu sou uma que fui pastei pra fazer papinha em casa, porque sou uma negação na cozinha, nem arroz eu sabia fazer, porque não tenho criatividade culinária, porque era vegetariana desde que nasci até pouco tempo atras, então não sabia (e ainda não sei) diferenciar tipos de carnes, cortes de frango(e tenho nojo ainda por cima, quando estão crus), e também não sei nada de verduras, legumes etc... cresci comendo miojo praticamente (mas minha primeira infância foi repleta de muitas verdura, legumes, frutas, etc... então tenho uma saúde ótima, tudo mudou na pre-adolescencia que fiquei chata, rs) e pra ajudar não sou muito boa em organização do tempo, alem de ter um bebe que chorava muito quando eu ia para a cozinha, mesmo quando por 5 mins, mas eu acabava demorando umas 2 hrs para uma simples papinha, metade do tempo descascando pq nem isso eu fazia direito rs! Em fim tinha tudo para ir pro mais pratico e rapido, mas me virei, fui atras de receitas, procurei na internet, perguntei pras amigas, pra mae, pra sogra e aprendi, já queimei papinha, já deixei cru, já deixei muito ruim, já deixei mais ou menos, mas aprendi, e tenho muito orgulho, apesar de querer voltar a tras e ter me esforçado mais, rs minha filha comia super bem e adorava minhas papinhas, depois que aprendi a fazer, rs, batia um pratao de dar orgulho! hoje minha filha com 2 anos, come super bem e tenho certeza que foi por toda dicação que tive, não foi facil, mas com certeza valeu a pena! Bjs

    ResponderExcluir
  17. concordo e assino embaixo! Penso que os pais deveriam assumir e entender o seu papel na criação de um filho! isso significa sim ter mais trabalho, afinal de contas não é façil manter a casa cheia de frutas, legumes e verduras fresquinhas, fazer e cozinhar a comidinha do bebê e ainda passar um bom tempo ensinando-o a comer bem.... Infelizmente hj em dia poucos pais querem "perder" seu tempo com isso. Lá na frente, sei que vou olhar pra trás e me orgulhar de fazer uma comidinha fresca e saudável pro meu filho todos os dias e ele mais ainda!

    ResponderExcluir
  18. Obrigada por todos os comentarios, posicionamentos e experiencias pessoas que vcs estao divindo aqui no blog, isso torna a ideia de escrever com o coracao muito gratificante. Voltem mais vezes e em breve mais info e ideias fresquinhas. bj JM

    ResponderExcluir
  19. Ola ... meu nome e Giuliana, escrevo de Lisboa e estive a ler o conteudo e realmente concordo com tudo. Tenho uma bebe de 4 meses que entrou hoje na escolinha. Preocupo me demais com o que estao a dar para a minha bebe comer.Pedi que dessem apenas a sopa e uma peça de fruta. Para a minha surpresa a educadora perguntou me se eu nao levava um "lanchinho" tipo danoninho, papinha ... etc ... eu apenas lhe respondi ... de gorda ja chega a mãe. E quero que minha filha conheça desde bebe o que sao os "bons" alimentos. Onde ja se viu dar essas "tranqueiras" industrializadas, cheias de açucar para uma bebe tão pequena !!!

    ResponderExcluir
  20. Nossa, pois a minha filha de 7 meses come de tudo!! Faço a papinha dela de carne e de frango, ela ama, toma mamadeira (NAN 2), mama peito, come frutinha, suquinho, já comeu as papinhas nestle (pq a mamãe aqui n teve tempo de preparar no dia a papinha dela), como a papinha de frutinha nestle tb....o que vier ela manda ver....mas é como uma das meninas aí falou, quando a gente que trabalha não tem tempo de preparar, a primeira coisa q vem na nossa cabeça pra n deixar nossos bebes com fome é recorrer a essas papinhas, acho que uma vez ou outra, n faz mal....e vou confessar uma coisa...eu adoro comer as papinhas salgadas...hummm delicia!!! rsrsrsrsr...beijos...Lu.

    ResponderExcluir
  21. -

    Gostei muito do que li, me ajudou bastante. Tenho um Filho de 3 anos e estou gravida de 8 meses. quando meu filho completou 6 meses comecei a introduzir a papinha industrializada, hoje vejo o quanto fui leiga, o qnt isso fez mal a ele. Ele não pegou peso, e só agora estou conseguindo fazer ele gostar de verduras cozidas e frutinhas... Não cometerei o mesmo erro com minha FILHA, é como o post a cima, uma vez ou outra até vai, em alguma eventualidade, mas não diariamente. Fico feliz por saber que tem pessoas interessadas em ajudar outras o que é teu caso com esta postagem. OBRIGADA!

    -


    Atenciosamente, Kárita Cristina!

    ResponderExcluir
  22. Descobri esse blog procurando alternativas e outras receitas para incluir na alimentação da minha filha. Ela tem 9 meses e começou a comer cedo, pois só mamou até quatro meses. Hoje come tudo que é oferecido, papinhas salgadas feitas em casa, frutas, cereais, feijão, etc e tb as papinhas prontas, esporadicamente, em viagens ou mesmo quando vou passar muito tempo em locais. Concordo com as opiniões aqui postadas que no momento atual é difícil dizer o que é realmente saudável. Defendo que a nossa alimentação deve ser equilibrada, não podemos exagerar nos industrializados e com os nossos bebês principalmente.

    ResponderExcluir
  23. Gostei muito do post. Meu filho está começando a comer papinhas e prefiro fazê-las eu mesma. Sei que muitas vezes não temos a garantia que os legumes, verduras e frutas não contenham agrotóxicos, mas de qualquer maneira já experimentei na pele o que os produtos industrializados são capazes de fazer. Comecei a ter hipertensão aos 25 anos e não entendia muito bem o porque, quando comecei a observar a quantidade de sódio nos produtos, temperos e molhos industrializados encontrei a raiz do problema. Hoje, prefiro usar alimentos mais naturais, mesmo que deem um pouco mais de trabalho para o preparo e minha família ficou muito mais saudável. Sei que muitas vezes não temos tempo ou numa emergência a papinha pronta pode ser uma ajuda e tanto. Mas ainda prefiro dar uma banana ou maçã (que são fáceis de serem transportadas) para meu filho do que um potinho Nestlé. A carinha dele sentindo as texturas e sabores diferentes não tem preço!!!!

    ResponderExcluir
  24. Experimentem http://www.lusante.com.br/categories.php?category=LINHA-BABY

    ResponderExcluir
  25. meu bebe tem cinco meses ja vou começar dar papinha pra ele hoje comprei uma papinha pra ele mas depois do que li mudei de ideia vou fazer suas papinhas com legumes fresquinhos pois amo demais o meu bebe para prejudica-lo com essas quimicas ele é a minha vida. obrigado.

    ResponderExcluir
  26. Sou casada há 05 anos, tenho um bebê de 01 ano, sou servidora pública, sou professora de IES, sou advogada, e meu bebê não come produtos enlatados, trabalho muito, mas o tempo que procuro ter é para fazê -lo se alimentar bem e de forma saudável,amamento até hoje e até seis meses exclusivo, ele se alimenta de frutas e verduras( todas) e gosta do que come, acredito para algumas mães ser um sacrifício fazer o que faço,o preparo do almoço e do jantar é feito 01 hora antes dele comer, os lanches são sucos de frutas feitos na hora ou vitaminas, ele faz rigorosamente 05 refeições, mas só consigo com o apoio da babá, eu corto e separo de manhã e ponho na geladeira para ela levar ao fogo na hora do neném comer, ou seja se organizando e com apoio dá para fazer, sozinha reconheço que só se a mãe não trabalhar, que hoje em dia é raríssimo. Gostei do seu blog, e respeito quem faz uso das papinhas

    ResponderExcluir
  27. Não sei se alguém já comentou, mas as papinhas Nestlé salgadas têm óleo de canola, sobre o qual vale a seguinte leitura: http://www.puravida.com.br/artigos-do-mes/oleo-de-canola-sera-que-e-bom-mesmo/

    ResponderExcluir
  28. gente! quanta baboseira! façam papinhas caseiras sempre que possível e quando for sair leve a sua papinha Nestle! simples assim, a gente vai morrer um dia e de qualquer maneira todos seremos expostos a variações não saudáveis de alimentos, independente da idade! hahaha não percam tempo com bobagens, vão cuidar de seus filhos!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PERFEITO !!!! o melhor post que já li aqui.. mania desse pessoal de ser radical !!! não acho saudavel potinho sempre, mas de vez em quando..peloamor né...

      Excluir
  29. muito bom, tem poucos blogs comentando sobre os malefícios da papinha nestle, e dos que pesquisei, o seu foi sem dúvida o mais completo. Só deixo esclarecer uma exceção por aqui, minha filha (gordinha) só esteve pronta para o alimento com 9 meses, até lá foi basicamente mantida sob leite materno, cada criança tem seu tempo e o melhor sempre é introduzir o alimento (caseiro, claro), depois dos 6 meses de idade :)

    ResponderExcluir
  30. Tenho um bebê de 11 meses que come papinhas feitas em casa e papinhas e frutas da Nestle, eu não sabia do Bisphenol nas tampas. Bom lá vai minha opinião: Papinhas frescas são mais saudáveis se: a mãe comprar alimentos fresquinhos e fizer a papinha todos os dias, isto é, não adianta usar legumes passados, carne de açougue duvidoso, ou ainda fazer tudo ok e guardar para dar no outro dia. Neste caso, sinceramente não sei o que é pior, a feita em casa ou a comprada pronta. Eu faço todos os dias uma papinha fresca, porém dou frutas batidas com leite da nestlé pela praticidade, fora que ficam gostosinhas, e quando eu tento fazer igual em casa vira suco e suco não mata a fome, já uma papinha engrossadinha mata a fome. Quanto a OBESIDADE, o que engorda as crianças não são as papinhas da Nestlé, nem aqui no Brasil e nem nos EUA, o que engorda é um misto de muita porcaria ( batata frita - refrigerantes - chocolates - bolachas recheadas, etc) e pouca atividade física. Culpar a papinha é balela. Sou mãe também de uma menina de 11 anos que praticamente não comeu papinhas industrializadas, e ela era um bebê gordinho, foi uma criança de corpo normal para fofinha e hoje já está com corpo de moça aos 11 anos . Detalhe é que minha filha não comia papas industrializadas e eu também não engrossava as mamadeiras, já meu bebê de 11 meses, como papas caseiras, e também da nestlé, papinhas de frutas da nestlé quase todos os dias, mamadeiras engrossadas com Mucilon, e ele é um bebê magro. Não engorda e come muito minhas papas. Isto é , acho que além do misto de comer porcarias e ser sedentário, existe também o fator predisposição genética.

    ResponderExcluir
  31. Gostei do post, minha bebê tem 4 meses e começa com papinha salgada daqui dois meses, sempre vou dar comidinha feita na hora(modéstia à parte, sou uma ótima cozinheira, hehehe) mas não serei radical, se u m dia estiver na rua e precisar levar uma comidinha, levarei a papinha nestlê, mas usarei assim, só nos passeios.

    ResponderExcluir
  32. Acho que vc exagera demais nesse texto. O pediatra do meu filho disse que as papinhas não fazem mal, dá para dar sim. Numa viagem, por exemplo. Achei esse seu texto mto exagerado, desculpe a franqueza!

    ResponderExcluir
  33. Trabalho na Nestlé, na área de alimentos infantis. Posso dizer que embora toda empresa vise o lucro, os especialista, nutricionistas e pessoal da produção realmente são comprometidos em fazer um alimento adequado a esta fase tão delicada...há inúmeras pesquisas desenvolvidas ao redor do mundo e sim uma enorme preocupação com a questão agrotóxicos. Pode ser que no passado não tenha sido tão rigoroso, mas hoje as empresas estão mais alertas à saúde dos consumidores. Mas ainda trabalhando na Nestlé não sou defensora da empresa e prefiro muitos produtos da concorrência. Tenho uma bebê de 5 meses que ainda não foi introduzida ao universo industrial mesmo eu tendo o benefício de retirar alimentos sem custo...mesmo sabendo de todo o cuidado eu prefiro preparar à minha maneira, experimentar e passar afeto através disso. Ela terá muito tempo ainda para se intupir de alimentos feitos em larga escala, não preciso ter pressa! Seu texto é bom para se refletir, mas ngm deve levá-lo como verdade absoluta, pois há risco igual em ambos os lados.

    ResponderExcluir
  34. CADA UM TEM SUA OPINIÃO,NOS COMENTÁRIOS UM QUERIA SABER MAIS DO QUE O OUTRO,QUANTA IGNORÂNCIA!CUIDEI DO MEU FILHO COM SOPINHAS E PAPINHAS DA NESTLÉ,HOJE ELE JÁ É DE MAIOR,E TEM SAÚDE PRA DAR E VENDER! QUANDO PASSOU A FASE DELE DE BEBÊ,ATÉ JILÓ COZIDO ELE COMIA!CADA UM TRATE SEU FILHO COMO ACHA QUE DEVE TRATAR!AGORA SE CONCORDA OU NÃO ,CABE AO INDIVIDUAL DE CADA UM!SENDO DA NESTLÉ OU NÃO,O IMPORTANTE É NÃO DEIXAR A CRIANÇA MORRER DE FOME!SE AS SOPINHAS FIZESSEM TÃO MAL ASSIM,PRA QUE EXISTE A FISCALIZAÇÃO?ACHO QUE JÁ TINHAM TIRADO DE CIRCULAÇÃO HÁ TEMPO!E OS ANOS QUE A NESTLÉ JÁ ESTÁ NO MERCADO!NUNCA VI NOTICIÁRIOS DE CRIANÇAS INTOXICADAS OU VIR A ÓBITO POR COMEREM SOPINHAS OU PAPINHAS DA NESTLÉ!JÁ CITEI O CASO DO MEU FILHO QUE É SUPER SAUDÁVEL HOJE!NÃO SEI PRA QUE TANTAS POLÊMICAS!DIGO TUDO ISTO PQ JÁ PASSEI POR ESTA EXPERIÊNCIA E NUNCA TIVE PROBLEMAS!CADA UM NO SEU QUADRADO E CRIEM SEUS FILHOS COMO ACHAREM MELHOR,SEM EXIBIÇÃO!QUEM QUISER DAR ALIMENTOS CASEIROS QUE DEÊM!CRÍTICAS IDIOTAS!VÃO CUIDAR DE SEUS FILHOS E DEIXEM OS DOS OUTROS!!!SE DANE OS SABICHÕES DE PESQUISAS QUE GOSTAM DE APARECER!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  35. Gostei muito do texto e do blog, parabéns! A Sonia Hirsch diz que essas papinhas são "comida mumificada", adoro! kkkkk Vou divulgar teu trabalho, o que é bom merece ser carregado pelos ventos por todos os lugares. Abraço!

    ResponderExcluir
  36. aqui em casa usamos a papinha, mais sempre pegamos a receita no verso, pra tentar imitar com os nossos ingredientes naturais, e a bebe nunca come a papinha varias veses seguidas,
    o que fazemos é bem interresante, e o que não sabemos o que é da formula deixamos pra la, se o tal do acido citrico vem do limão não sei, se for verdade substituo com uma colher de cha de suco de limão se tiver limão e pronto!
    só deixar ela fazer careta! rsrsrs

    ResponderExcluir
  37. eu dou para minha pequena,por q quando ela esta doentinha infelismente,a unica coisa q ela aceita comer e essa papinha,mais depoiis de saber de tudo isso apartir de amanha nao vou dar mais pra ela,se ela nao quizer jantar ou almocar ,vou dar uma fruta pra ela,essa pesquiza me ajudou bastante a entender direito o q faz de mal para minha filha de 1 ano e 4 meses,se alguem souber alguma dica para ela comer alguma coisa salgada,me ajudem por favor por q ta dificil

    ResponderExcluir
  38. Any Araújo:
    Eu gostei bastante do post, eu andava dando essas papinhas para a minha bb por falta de informação, não sabia os riscos que poderiam trazer a saúde dela , por ser minha primeira filha eu achava as papinhas tinham o mesmo valor nutricional dos alimentos do dia a dia, parei de dar a mais ou menos 1 mês quando minha filha de 8 meses teve infecção intestinal. obrigada pelo post, tirou minhas dúvida e me alertou muito mais para os riscos que essas papinhas podiam trazer para a saúde da minha bb se ela continuasse a consumir.

    ResponderExcluir
  39. Estamos num grande dilema, meu sobrinho de 11 meses está foi diagnosticado com leucemia mielóide aguda (LMA) M7 e nesse caso só transplante e foi bem na fase em que começou a sua alimentação sólida, enquanto estávamos em casa tudo bem, mas quando ele passou a ficar internado direto, não tivemos opção, a comida do hospital é horrível, uma papa de fubá sempre, e não podíamos levar nada de fora, pois ele também não pode comer nada cru. Então a única coisa que ele aceita até hoje é a papinha nestlé, e mesmo assim, devido ao tratamento de tanta quimioterapia, que por si só já causa vários efeitos colaterais, qquer coisa q ele comia do hospital ele vomitava mais ainda, e até agora com 11 meses, sempre que ele está internado a única coisa que ele aceita são essas papinhas, e da primeira fase, ele chega a comer 12 potes por dia, pois ele desenvolveu um intolerância ao leite, que é muito difícil fazer ele tomar.

    ResponderExcluir
  40. Bom meu filho tem 2 pediatras que o acompanham, um ped e homeopata e o outro apenas alopata, ambos me indicaram a oferecer sim de vez em quando as papinhas da nestle que nao fariam mal ao bebe e que continha os mesmos nutrientes dos alimentos naturais e claro que me disseram para alternar com as papinhas feitas por mim afinal ele deveria acostumar ao paladar da minha comida. Entao o que posso dizer é mais do que ser jornalista mesmo que voce tenha pos graduaçao em Harvard, os pediatras do meu filho que um deles inclusive é doutor e professor da Universidade de Sao Paulo(USP), estudaram bastante e o suficiente para saberem o que pode ou nao ser prejudicial a saude de nossas crianças e se fizesse todo esse mal com certeza nao a indicaria como alternativa alimentar, alem do que se essas papinhas fizessem todo esse mal como descreve a nestle com toda certeza nao estaria mais atuando na produçao de papinhas. Resumindo é muito bom quando se pode voce mesmo fazer o alimento do seu filho, mas nao prenda se ao radicalismo de achar que, se de vez em quando tiver que recorrer a essas papinhas, estara prejudicando seu filho.

    ResponderExcluir
  41. ai gente... suponho que a maioria de vcs tenha 1 filho so! tenho tres e os tres forao alimentados a maioria das vezes com papinhas compradas e sao super saudaveis, comen de tudo ao contrario de pessoas do meu convivio que se considera ser super mae pq td que oferece aos seus filhos é natural e a criança hj em dia nao come quase nada saudavel... isso td é mito, se vc pode comprar otimo se nao pode faça em casa mesmo...afinal de contas alimentar a criança exclusivamente com papinha industrializada nao é pra quem quer é so pra quem pode, afinal sao muito caras....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh anônimo, seu nome deve ser Tásia... tá se achando, isso não é questão de dinheiro, mas de interesse no bem estar do bebê! Palmas pra você!

      Excluir
  42. Gostei muito da sua matéria, concordo plenamente que devemos evitar ao máximo dar alimentos industrializados, só em um momento de grande urgência. Beijos!

    ResponderExcluir
  43. Estou no meu terceiro filho, e tenho muito orgulho de ter dado apenas 1 ÚNICA vez, e por necessidade, em viagem de carro por mais de 14 horas ele recém operado tendo que comer tudo processado. Minha Bebe de 11 meses nunquinha nem provou. Sou Contra! Já tive uma conhecida que dava diariamente, e seu bebezinho ficou anêmico, e o pior caindo cabelo, isso foi há Treze anos atrás. Eu tinha tanta revolta disso, que liguei até na Nestlé para o departamento de nutrição, fui atendida ao telefone e eles mesmo assumiram que devido ao método de aquecimento e refriamento para conservação os nutrientes eram diminuídos sim. Eu de verdade, fico revoltada com as mães preguiçosas.

    ResponderExcluir
  44. Olá, vivemos num mundo onde tudo é duvidoso e superficial. Não discordo da veracidade das informções mas lamento ver pelos comentários a disputa de egos. A vida já está tão difícil, que adimiro pessoas como vc que militam por causas tão nobres. O que vale nessa vida é o amor a solidariedade e não a razão. Ora pessoal se uma pessoa tenta nos instruir com informações úteis não devemos criticar mas agradecer.E se não concordamos façamos as nossas pesquisas, e se soubermos um pouco mais do assunto temos q acrescentar e não denegrir as poucas pessoas no mundo que ocupam seu tempo fazendo bem direta ou indiretamente aos outros. Afinal somos egos, diplomas, etc ou seres humanos? Aos meus gêmeos que espero anciosa oferecerei o melhor para terem uma vida plena! Obrigada pelo post

    ResponderExcluir
  45. Gente alguém já viu a papinha orgânica da marca Jasmine? Tem ate de quinoa, achei interessante mas ainda nãos dei para o meu filho.

    ResponderExcluir
  46. Sou Priscila, mãe de três lindos , super saudáveis e apaixonados meninos. Sou atrapalhada, corrida, maluca, elétrica, independente , mãe solteira, guerreira , sozinha( por muitas vezes) e "NUNCA" , repito, "NUNCA" dei uma papinha nem doce , nem salgada, nem azeda nem amarga pronta pros meus bbs ... Simmmm faço a papinha e amasso no garfo, uma panela de pressão cheiiiiaaaa de cará. inhame, beterraba, acelga, couve, escarola, arroz "integral" , feijão, couve-flor, brócolis, bife de fígado, peito de frango, músculo e outras "cositas" más, pro meu bebê.. sabe por que? Por que eles vão crescer , e sabe- se lá o que vão comer na rua... então , enquanto eu posso garantir que eles sejam realmente bem alimentados, por que não fazer? Meu braço não caiu, meus compromissos todos cumpridos, minha vida feliz .... beijinhos mamãe de Arthur( 9 anos), Thulius (6 anos) e Davi (8meses).

    ResponderExcluir
  47. Estou desesperada!!! faço mil e uma papinhas naturais e a minha filha cospe todas, só quer comer as da Nestlê. É horrivel imaginar que ela possa perder peso, só tem seis meses. O que eu faço?

    ResponderExcluir
  48. Acho que o problema não esta em da a papinha da nestle, quando estamos no sufoco podemos se recorrer a ela sem culpa, o que nao pode se fazer é criar uma rotina feita com essas papinhas.... Eu optei juntamente com a pediatra em iniciar as papinhas caseiras aqui em casa aos 4 meses, porque ela nao mamava mais e eu nao queria ficar so no la... queria começar o quanto antes para nao ter essa dificuldade quando chegasse aos 6 meses.... E foi um sucesso, minha filha come tudo, separado ou junto, carne, frango, legumes, graos, frutas.... tudo mesmo que esta dentro da dieta dela... Nunca teve a oportunidade de comer uma papinha da nestle, nao porque eu nao quis, ainda nao precisei... Prefiro cozinhar todo dia com meu tempero que ela ama, eu ainda nao tou trabalhando, mas para as mames que trabalham isso nao é desculpa para se optar pela papinha da nestle, pode fazer uma quantidade na noite e congelar em vasinhos de vidros com tampa, da um choque termico antes de colocar no congelador e depois so é da na semana deixando ferver e pronto! Nada contra quem da, mas nao se deve meter ela na rotina da criança... E para as mamaes que os bebes cospe a comida e optaram pela nestle, vaio ser uma tarefa mais complicada agora para voltar para a papinha caseira, ela ja se acostumou com aquele negocio mole e facil de engoli e quando vc fizer em casa amassadinho ele vai estranhar e vomitar tudo mesmo... infelizmente .... Mas nunca é tarde e deve persistir...

    ResponderExcluir
  49. Vc me salvou!!!! Ótimo.post

    obg !

    ResponderExcluir