quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Doce perigo: o que contém um pirulito

Não quero estragar a ressaca de ninguém, afinal me parece que o Halloween se incorporou de vez na vida das crianças brasileiras (quero dizer: crianças que estudam em escolas particulares e fazem curso de inglês). E os saquinhos de balas e chicletes ainda estão espalhados pela casa.
Eu sei que a questão está longe de ser um problema só do Halloween. Nossas crianças são bombardeadas com bala, pirulito e chiclete diariamente. A gente entra em qualquer estabelecimento comercial e lá vem alguém fazer um agrado e entrega na mão do seu filho o quinto pirulito do dia. E se você não deixa comer, começa a choradeira e ai sim, você vira mãe chata. Eu sei que a idéia é para entreter as crianças e mostrar simpatia, mas falta um pouquinho de informação ai.
Afinal qual é o mal dos “candies” (vamos manter o clima de Halloween). O açúcar você já sabe, alias é a única coisa que dentistas, médicos e a mídia alertam na hora de difamar essas pequenas guloseimas, elas engordam e dão cárie. Mas porque ninguém fala dos corantes e aromas artificiais entre outros aditivos pouco conhecidas? Substâncias químicas que causam problemas neurológicos como retardamento mental e síndrome do déficit de atenção, causam diabetes, problemas da tireóide e até  mesmo câncer.

Será porque isso destruiria uma indústria milionária, calcada na idéia de que vale tudo para atrair os pequenos consumidores agrupados na categoria “kids”. Até mesmo pintar a comida que eles ingerem com VERMELHO 40 e AZUL CREPÚSCULO. Afinal, as crianças adoram coisas bem coloridas. E se alguém questiona, mas isso não faz mal? Essa mesma indústria te aponta para testes, que eles mesmos fizeram, mostrando que a quantidade dessas substâncias em uma única bala, não faz mal não. O corpo é uma máquina poderosa, capaz de se desfazer dessas toxinas rapidinho.

Uma coisa eles estão certos, o nosso corpo é incrível. Mas o que acontece quando essas crianças não ingerem apenas uma bala, mas várias. E não apenas a bala, mas o iogurte, o suco artificial, o achocolatado, o picolé, a gelatina entre outras centenas de produtos especialmente desenvolvidos para o paladar e para a visão infantil? Todos devidamente pintados e aromatizados artificialmente.

Eu resolvi pegar três produtos tradicionais e amplamente comercializados para dissecar alguns de seus ingredientes. Quero deixar claro que não é uma campanha contra esses produtos específicos, eles simplesmente eram os que estavam por perto quando resolvi fazer essa minha pequena análise. Basta começar a ler (se sua visão for biônica, as letras são tão pequenas que é necessário uma lupa) a lista de ingredientes do próximo chiclete que seu filho colocar mão, o repertório não muda muito. Ah, sabe as balas Toffee? Elas não têm corantes, mas são destinadas a público adulto, "trick" não!?

Chiclete Adams sabor Hortelã. Ingredientes: Açúcar, Goma Base, Xarope de Glicose e Amido de Milho. Aromatizantes: Aspartame e Acesulfame-K. Emulsificante: Lecitina de Soja. Corante Inorgânico: Dióxido de Titânio. Glaceante: Cera Vegetal. Corante Artificial: Azul Brilhante. Não Contém Glúten. Contém Felinalina.

 Bala 7 Belo. Ingredientes: Açúcar, Xarope de Glicose e Gordura Vegetal Hidrogenada. Acidulante: Ácido Lático. Emulsificantes: Lecitina de Soja e Monoestearato de Glicerila. Corantes: Vermelho 40 e Azul Brilhante.  Aromatizante. Não Contém Glúten. Contém soja e traços de leite e amendoim.

Pirulito Big Big. Ingredientes: Açúcar, Xarope de Glicose e Goma Base. Acidulante: Ácido Cítrico. Corantes: Vermelho 40, Amarelo Crepúsculo e Indigotina. Antioxidante: BHT. Aromatizante.


Glossário de (alguns) Ingredientes:

Acesulfame-K: Vendido comercialmente como Sweet One, é um substituto do açúcar aprovado para o consumo em 1988 pelo FDA, apesar das inúmeras controvérsias quanto a sua segurança para a saúde humana, sendo potencialmente cancerígeno. Muito usado em chicletes, café e chás instantâneos, sucos em pó e gelatinas, esse aditivo causou tumores na tireóide de ratos, coelhos e cachorros testados.

Amarelo Crepúsculo: Proibido em alguns países da Europa. Pesquisas demonstraram uma relação dessa substância com hiperatividade e outros distúrbios de comportamento em crianças suscetíveis.

 Azul Brilhante: Causa irritação ao trato respiratório e das membranas mucosas. Doses altas produzem cólicas estomacais, estenose no esôfago, náusea e vômito.

BHT: Antioxidante. Há casos de dificuldade de metabolização do BHT, o que causaria hiperatividade infantil, crises de asma e outras reações alérgicas, sendo especialmente prejudiciais para os bebês. Há dúvidas a respeito de ser ou não cancerígeno. Foi banido seu uso alimentício no Japão em 1958, Romênia, Suécia e Austrália, e nos EUA é proibido para alimentos infantis, e o McDonald's deixou de usa-lo em 1986.

Fenilanina: Encontrada no aspartame, um adoçante, substituto do açúcar e muito utilizado em refrigerantes. Existe um grupo de pessoas que sofrem da uma doença hereditária chamada fenilcetonúria (PKU, detectada no teste do pezinho). A estas pessoas falta uma enzima que é necessária para digerir a fenilalanina. Esta, como não é absorvida, passa a acumular-se no organismo até ser convertida em compostos tóxicos. Os doentes com PKU que ingerem a fenilalanina sofrem de diferentes sintomas de toxicidade, incluindo atrasos mentais especialmente em crianças e distúrbios intelectuais nos adultos.


 Indigotina: Corante azul anil. Provoca hiperatividade infantil, crises de asma, reações alérgicas similares à aspirina e outras intolerâncias.

Vermelho 40: Mais um derivado do petróleo. Esse é um dos corantes mais combatidos, mas ainda amplamente utilizado pela indústria alimentícia no Brasil e nos EUA, pense em tudo que é vermelho ou rosa. Na Europa deixou de ser utilizada voluntariamente quando estudos passaram a indicar os riscos para a saúde entre eles: hiperatividade, agressividade e baixo desenvolvimento cognitivo em crianças.

 E agora, o que fazer? Bem, eu sei que vai ser quase impossível evitar, a não ser que você vire a chata radical. Mas consciente do problema, você vai poder dosar e aprender a deixar na prateleira dos supermercados alguns produtos que antes você achava que não saberia viver sem. Há, para as mães empreendedoras esse é um bom filão a ser explorado, balas e pirulito feitos como nos tempos das nossas avós, bala de caramelo, côco, mel... E se alguém entrar no ramo me avise, porque produtos honestos estão quase impossíveis de se encontrar. Nossos filhos agradecem.


Fontes complementares:
http://servbib.fcfar.unesp.br/seer/index.php/alimentos/article/viewFile/865/744
http://www.idec.org.br/materia.asp?id=104
http://www.abril.com.br/noticias/ciencia-saude/gelatinas-brasileiras-tem-corante-proibido-paises-europeus-424769.shtml
http://www.velhosamigos.com.br/Autores/Teixeira/teixeira12.html


Se você gostou desse post, também vai gostar de:
Bebês estão nascendo pré-poluídos
Os 15 alimentos que você deve consumir orgânico
Os 12 mandamentos da alimentação saudável
Goma Base: Ela é a matéria-prima de todos os chicletes. Ela é feita de: borracha sintética e parafina (ambas derivadas do petróleo), substâncias emulsificantes (óleos vegetais que dão liga à mistura) e antioxidantes (conservantes químicos que prolongam a duração do produto). A receita ainda leva carbonato de cálcio, uma espécie de cal tratada que serve para dar mais volume à mistura.

5 comentários:

  1. Parabéns Ju muito bem escrito e pesquisado. agora... que medo!! está todo mundo no mesmo barco e viver sem os tais docinhos é praticamente viver em outro mundo.
    O jeito é tentar evitar!

    obrigada pelas informações!
    beijão

    ResponderExcluir
  2. Excelente post!!!
    Meu filho tem 13 meses...o açúcar de um modo geral tem sido evitado em nossa casa...assim como os alimentos com corantes.
    Fácil não é, mas quanto mais demorar a conhecer, melhor!

    ResponderExcluir
  3. Estou chocada com esse post... É como levar um tapa na cara para sair da ignorância. Como dói!
    É fácil proteger as crianças quando são pequenas, duro é fazer o mesmo quando estão maiores indo na escola e nem sempre os pais tem a mesma opinião que você... ai te digo, ouço muitas vezes por dia que mãe de fulano é mais legal que eu porque deixa seu filho fazer coisas que normalmente não permito.

    ResponderExcluir
  4. Obrigada pelos comentários. E Fafá, quanto aos pais que não tem a mesma opinião que você, o problema é falta de informação. Por isso divulgue. Todos os pais querem o melhor para os filhos. E é fato, a saúde emocional e física das crianças está totalmente ligada com aquilo que eles colocam na boca. abç

    ResponderExcluir
  5. Muitoo boaa essa materia adorei blog muito bom !!

    ResponderExcluir